Como tudo Começou…

Em 29 de março de 1549, chegou à Bahia uma expedição comandada por Tomé de Souza, (primeiro Governador Geral do Brasil Colônia) e, com ela, o almoxarife da Coroa Portuguesa, Garcia D’Ávila.

Construiu, em 1551, em cumprimento ao Regimento de D. João III, na enseada de Tatuapara, a cerca de 80 Km de Salvador, o que ele chamou de a “Torre Singela de São Pedro de Rates” e, depois, o Solar, e a casa com a atual Capela de Nossa Senhora da Conceição.

Pelo seu esforço e energia incansáveis, durante a construção da Capital, foi recompensado em 21/05/1552 com terras de Sesmarias, na época pertencentes à Capitania da Baia de Todos os Santos do donatário Francisco Pereira Coutinho, instalando-se inicialmente em Itapagipe, depois em Itapuã, vindo a se tornar o primeiro Bandeirante do Norte.

Essas terras mediam 12 km pelos campos de Itapuã, limitadas entre a Cidade e a Sesmaria de 36 km de litoral e 84 km de fundo, sendo anexadas a uma parte da Sesmaria de “propriedade” de Antônio de Ataíde, o “Conde de Castanheira”, na época, protegido de D. João III, o rei de Portugal.

No mesmo ano, Garcia D’Ávila, instala-se em Tatuapara, foz do rio Pojuca, Praia do Forte, introduz a pecuária extensiva (criação de gado) no Nordeste do Brasil e ergue o lendário Castelo ou “Casa da Torre”, uma verdadeira fortaleza.

Em 1609 morre Garcia D’Ávila, deixando imensas sesmarias, latifúndios que avançavam pelo sertão baiano.

Então, o seu neto e herdeiro, Francisco Dias de Ávila Caramuru, prossegue na construção da Casa, até concluí-la em 1624.

%d blogueiros gostam disto: