Notícias

De Ipitanga a Lauro de Freitas: uma breve história do povo Ipitanguense

NeyBarbosa
Escrito por NeyBarbosa

De acordo com os historiadores e organizadores do projeto, tal obra será um marco para o desenvolvimento cultural da cidade.

Com o objetivo de compreender a sociedade ipitanguense, em sua gênese e transformação, bem como os múltiplos fatores históricos, culturais e sociais, que nela intervêm como produtos da ação humana, um grupo de renomados pesquisadores, locais, lançará um livro inédito sobre Lauro de Freitas, nas comemorações dos 57 anos de emancipação política da cidade.

A presente obra é uma coletânea, elaborada por 13 escritores da cidade, cujos textos retratam as matrizes históricas, culturais, ambientais e identitárias do município, bem como os desafios sociais e econômicos, impostos pela contemporaneidade.

O livro, intitulado “De Ipitanga a Lauro de Freitas: uma breve história do povo Ipitanguense”, é dividido em sete blocos e vinte e cinco capítulos.

No bloco 1, “Uma viagem no Tempo”, o livro aborda uma visão panorâmica sobre a história da cidade, com destaque para fatos históricos específicos, como os primeiros anos da colonização e a tradição Tupinambá, a resistência do Quilombo do Tatu, a participação da região nas guerras de Independência da Bahia e os fatores que levaram ao processo de emancipação política da cidade, bem como suas consequências.

No bloco 2, “Rede de comunidades negras: Ancestralidade e Resistência”, a primorosa obra apresenta conteúdos valiosos sobre a formação de importantes comunidades negras, que compõem o território ipitanguense. Histórias de luta, superação, sonho e fraternidade do Quingoma, Areia Branca, Caji, Vida Nova e Itinga, são retratadas a partir das narrativas dos mais velhos e da análise de documentos de época.

Já no bloco 3, a coletânea apresenta narrativas e histórias de vida de personalidades que marcaram o cotidiano cultural da cidade, tais como: Mãe Mirinha de Portão, Seo Balaieiro, Seo Caranguejo, Seo Candinho, Tude Celestino, Amaro de Brito e Maria de Murumbá.

Em seguida, o bloco 4 “Costumes e curiosidades”, apresenta tópicos inéditos sobre alguns ritos, como os casamentos antigos de Ipitanga.

No bloco 5, o conteúdo do livro envereda por uma reflexão sobre políticas públicas afirmativas de Lauro de Freitas, com destaque para aspectos da legislação e projetos educativos exitosos.

No bloco 6, “Rio-memória: Um mergulho da nossa história”, a coletânea apresenta textos sobre a importância dos rios Joanes e Ipitanga, como símbolos do patrimônio cultural, histórico e ambiental local.

E, por fim, no último bloco, “O que nos une e separa”, o livro traz uma reflexão sobre a importância da cultura da paz, para o desenvolvimento local sustentável.

De acordo com os historiadores e organizadores do projeto, Gildásio Freitas e Tássio S. Cardoso, tal obra será um marco para o desenvolvimento cultural da cidade pois, ao informar aos laurofereitenses, sobre a sua própria história, o pensamento crítico e o exercício da cidadania participativa, serão estimulados. Assim, os organizadores acreditam que o livro irá contribuir com o sentimento de preservação da cidade e servirá para reavivar o debate nas escolas, universidades, ruas e espaços culturais sobre os fatos, personalidades, costumes e comunidades que compõem o manancial histórico local.

O cerimonial de lançamento está previsto para o início de setembro, no Cine Teatro de Lauro de Freitas.

Fazem parte desse primoroso projeto notáveis historiadores e educadores que residem em Lauro de Freitas há anos. Eles desenvolvem ações de valorização das matrizes históricas e culturais locais.

CURRÍCULO DOS AUTORES:

CARLOS EDUARDO CARVALHO SANTANA

Graduado em Pedagogia (2002); mestre em Educação e Contemporaneidade (2005) e doutor em Educação e Contemporaneidade (2015) pela Universidade do Estado da Bahia – Uneb; Conselheiro Municipal de Educação – CME, na Cidade do Salvador. Atualmente, gestor da Escola Municipal Malê Debalê – Smed/PMS; coordenador no grupo de pesquisa do Projeto Memória da Educação da Bahia – Promeba/Uneb; Programa de Pós-Graduação em Educação e Contemporaneidade – PPGEduC/Uneb; coordenador da Rede de Memórias da Educação Municipal – Rememu; docente titular na Faculdades Integradas Ipitanga – Facip/Unibahia – Lauro de Freitas-Ba; na Universidade Maurício de Nassau – Uninassau / Salvador-Ba e no Instituto de Educação Satyro Dias-Ba – Iesd/Fac; coordenador pedagógico na Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Salvador – Smed/PMS; vice-presidente da Associação Cultural Recreativa e Carnavalesca Malê Debalê.
Vasta experiência na área de Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura negra, formação do educador, identidade e quilombos.

CORIOLANO OLIVEIRA

Pedagogo; empresário; gestor cultural; co-fundador do Conselho de Cultura de Lauro de Freitas, bem como da Academia de Letras e Artes de Lauro de Freitas – Alalf; membro do Rotary e presidente da Associação Comercial e Empresarial de Lauro de Freitas – Acelf.

DULCE MOREIRA SAMPAIO

Pedagoga, mestra em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social e Especialista em Terapia Organizacional.
Autora de vários projetos, artigos e livros voltados ao desenvolvimento e valores humanos e educação: “A Pedagogia do Ser: Educação dos sentimentos e valores humanos”, 6º edição, Ed. Vozes; “Educação e Reconexão do Ser – um caminho para transformação humana e planetária”, Ed. Vozes e “A Conquista da felicidade – uma jornada interior”, Ed. Chiado/PT.
Pelos trabalhos desenvolvidos, recebeu o Título de Dr. h. c. (Doctor Honoris Causa) conferido pela Université Libre des Sciences de L’homme de Paris/FRA – ULSHP; Unip-Iesp/Lauro de Freitas/BA – 2016; 1º Prêmio “Ser Humano Luiz Tarquínio” da Associação Brasileira de Recursos Humanos ABRH/BA – 2012 e o Prêmio Excelência de Qualidade Brasil/2013, na categoria Profissional do Ano da Associação Brasileira de Liderança – Braslider SP. Membro efetivo da Academia de Letras de Lauro de Freitas – Alalf/BA.

EMANUEL PARANHOS

Professor, Historiador, Técnico da Secretaria de Cultura de Lauro de Freitas – Secult, presidente do Centro de Pesquisas UFOS-Bahia.

FÁTIMA SANTANA SANTOS

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino e Relações Étnicos-Raciais – PPGER/UFSB, Pedagoga e coordenadora pedagógica do Centro Municipal de Educação Infantil Dr. Djalma Ramos, no município de Lauro de Freitas/BA.

GILDÁSIO VIEIRA DE FREITAS

Escritor e historiador do município de Lauro de Freitas, foi no curso de História da Ufba, que o professor Gildásio Freitas, aluno de ilustres professores, dentre os quais Cid Teixeira; Consuelo Pondé de Sena; Jeferson Bacelar e Hilda Paraíso, dentre outros, apaixonou-se pela cultura baiana, dedicando-se, com interesse especial, à região de Santo Amaro do Ipitanga e seus arredores, ao mudar-se para Lauro de Freitas e constatar ser, praticamente inexistente, material para pesquisas, publicado até então, sobre esta área periférica da capital.
Tem desenvolvido diversas atividades no município: professor de História e Geografia, em diversos colégios da cidade e fundador e 1º diretor da Biblioteca Pública Municipal de Lauro de Freitas. Durante sua gestão, conseguiu o reconhecimento da Fundação Nacional do Ministério da Cultura, através do Instituto Nacional do Livro; Fundador do Jornal de Lauro de Freitas, depois Revista de Lauro de Freitas, só interrompendo a circulação após quatro anos, devido à morte do seu parceiro, o saudoso jornalista Francisco Fagundes Filho.
Artista plástico, com premiações e participação em diversos salões e exposições e um dos três artistas de Lauro de Freitas selecionados para a VII Bienal do Recôncavo, no Centro Cultural Dannemann – São Félix, Bahia – 2006.
Livros publicados: “Cartilha Histórica de Lauro de Freitas” (1992/1998), juntamente com o professor Emanoel Paranhos; “Um Fim de Semana em Lauro de Freitas” (2006), adotado oficialmente pela Prefeitura Municipal para as séries iniciais, obedecendo a lei nº 9394 de Diretrizes e Bases na Educação Nacional; “Ipitanga e seus arredores” (2007) e “Influências e contribuições afro-brasileiras em Lauro de Freitas” (2006), ambos adotados, oficialmente, pela Prefeitura Municipal para o ensino fundamental e Livro da História de Lauro de Freitas: (2008), juntamente com professor Emanuel Paranhos.
Tem seu verbete incluído no Dicionário de Autores Baianos, publicação do Governo do Estado/Secretaria de Cultura e Turismo (2006), além de diversos livros com prefácio de sua autoria. Possui centenas de artigos publicados em jornais e revistas de diversos municípios e nos principais órgãos de imprensa de Lauro de Freitas. Participa de diversas instituições: sócio efetivo do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia e diretor do Patrimônio Cultural da Academia de Letras e Artes de Lauro de Freitas – Alalf/Ba.

GILDETE ARAÚJO DE MELO

Graduada em História pela Universidade Estadual da Bahia – Uneb; cursando Extensão na Universidade Federal da Bahia – Ufba – “Ubuntu Estudos em Base Africana”; coordenadora do “Projeto Grão de Areia / As Beijuzeiras de Areia Branca – Resgate da Memória Ancestral; trabalhou na Rede Municipal de Ensino durante 20 anos (1990 a 2010) atuando como professora do ensino fundamental I e como líder comunitária e agente cultural de 2009 a 2016; vivência em trabalho voluntariado com menores infratores, no Centrevida; desenvolve trabalho de pesquisa Memórias de Areia Branca, do Sotero e atividades culturais no Quilombo de Quingoma e na comunidade de Areia Branca – Lauro de Freitas/BA.

HANA ACCIOLY

Professora da Rede Municipal de Lauro de Freitas/BA; Pedagoga; mestra em Educação e Contemporaneidade e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação, Educação e Contemporaneidade – PPGEduC, da Universidade do Estado da Bahia – Uneb.

LADJANE ALVEZ SOUZA

Mestre em Educação e Pedagoga pela Universidade do Estado da Bahia – Uneb; professora e coordenadora Pedagógica do município de Lauro de Freitas/BA., onde reside atualmente; membro pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Educação e Currículo – Gpec.

MÁRCIO WESLEY

Jornalista, Escritor, Gestor Cultural,. músico e pós graduado em Comunicação Social.

TÁSSIO SIMÕES CARDOSO

Doutorando pelo Programa de Pós-graduação Educação e Contemporaneidade – PPGEduC, da Universidade do Estado da Bahia – Uneb; mestre em Gestão e Tecnologias aplicadas à Educação, pelo Programa de Pós-graduação em Gestão Tecnologias Aplicadas à Educação – Gestec/Uneb; especialista em Educação Inclusiva pela Faculdade de Nanuque – MG; especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade Visconde de Cairu/BA e Graduado em História pela Unijorge/BA; pesquisador Associado da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação ANPED; professor efetivo da Rede Estadual de Ensino da Bahia e professor universitário.

TINA TUDE

Atriz e educadora; pós-graduanda em Educação e Sustentabilidade, ativista pela identidade ipitanguense em Lauro de Freitas/BA; autora do conceito Terra das Águas Vermelhas, representado no Monumento aos Rios Ipitanga e Joanes, alegoria que institui o marco territorial do município. Fundadora da Academia de Letras e Artes de Lauro de Freitas – Alalf/BA e titular da cadeira de Revisão Historiográfica, Memória e Identidade do Conselho Municipal de Políticas Culturais – CMPC.


Da Redação
Fotos: Patrícia Lane

Sobre o autor

NeyBarbosa

NeyBarbosa

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto:
/* ]]> */