Ápio Vinagre

Non, Je Ne Regrette Rien

Bom dia, a  Bênção, Mukuiu.

A mensagem de hoje não podia ficar indiferente à passagem física de Bibi Ferreira. Aos 96 anos ela sai desse plano, mas, deixa uma obra admirável no campo da música e da dramaturgia. Para além da herança genética, Bibi é a expressão das pessoas que nascem com dons e os exercita, como diria Marcelo D2, “até a última ponta”.

Para além das diversas obras que compõem seu legado artístico, penso que a grande marca de Bibi, para os que, como eu, não se enquadram na qualidade de fãs, foi a sua interpretação de outra fera das artes mundial, Edith Piaf.

Assim, a nossa homenagem a Bibi, hoje, vai com “Non, Je Ne Regrette Rien”, canção composta em 1956, com letra de Michel Vaucaire e melodia de Charles Dumont. Foi gravada pela primeira vez por Piaf em 10 de novembro de 1960. E dedicada à Legião Estrangeira, que atuava, na época, na Guerra da Argélia (1956-1962).

Essa e outras canções de Piaf também ficaram marcadas na interpretação dessa grande atriz, diretora e cantora, da estrela que muda para  o plano espiritual.

Descanse em paz Bibi!

Que possamos olhar a nossa caminhada e ter pouco ou nada, como na canção de Piaf, para nos arrepender ou lamentar.

Que dores e amores, normais desse tipo de jornada, nada mais sejam que ensinamentos da vida, dos quais consigamos extrair o máximo daquilo que nos torne pessoas melhores, mais respeitosas, mais atentas às dores do outro, enfim, mais dotadas daquilo que penso ser HUMANIDADE.

Que Gongombira esteja sempre ao nosso lado, nos protegendo e emprestando sua flecha certeira e astúcia de caçador para que tenhamos sempre foco em nossos objetivos e no enfrentamento de toda a maldade que nos queira alcançar.

Boa quinta galera.

“… Não, nada de nada
Não, não me arrependo de nada
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, tudo isso, tanto faz para mim!

Não, nada de nada
Não, não me arrependo de nada
Está pago, varrido, esquecido
Não me importa o passado!

Com minhas recordações
Acendi o fogo
Minhas mágoas, meus prazeres
Não preciso mais deles!

Varridos os amores
E todos os seus temores
Varridos para sempre
Recomeço do zero

Não, nada de nada
Não, não me arrependo de nada
Nem o bem que me fizeram
Nem o mal, tudo isso, tanto faz para mim!

Não, nada de nada
Não, não me arrependo de nada
Pois minha vida, pois minhas alegrias
Hoje, tudo isso começa contigo!…”

Descrevendo a imagem para pessoas com deficiência visual e/ou com baixa visão:

Card na cor verde no qual se lê em letras brancas o seguinte texto:

“… Acredito na arte de motivar pessoas assim como acredito que cada ser humano tem potencial para transformar sua vida, minha missão é trazer à tona a força interior de cada um e mostrar que somos nós que decidimos o futuro que queremos ter…”

Luciane Ulguim

Sobre o autor

Avatar

APIO VINAGRE NASCIMENTO

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto:
/* ]]> */